segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Coisas da Vida


Com o fim da RPP Solar, pode-se dizer que, o Nelson Carvalho é o mais recente desempregado Abrantino...

Alterações aos Centros Escolares

Há poucos meses a Presidenta de Abrantes inaugurava com toda a pompa, que estas cerimonias têm para enganar o povinho, os Centros Escolares da Bemposta e de Rio de Moinhos. Obras caras com tudo do melhor e do mais moderno, até os ajustes directos, e tudo o mais que o contribuinte poder pagar. Ouve festa, comes e bebes, discursos e essas coisas todas da praxe. Até aqui tudo bem, ou menus mal, o pior veio agora, pior para os contribuintes, que são as obras de alteração, mais 70 mil €uros para um e 90 mil para outro, obras de alterar tectos falsos, portas, pavimentos, fechaduras e outras pentelhiçes. Mas os Drs e técnicos, arquitectos ou quem projectou aquilo não tinha o dever de ter atenção às pentelhices? Se calhar esta porra é mesmo assim e o contribuinte chora e os empreiteiros agradecem.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

9,5 milhões de euros para acelerar a desertificaçao do centro da cidade




A câmara de Abrantes já lançou o concurso para a construção das novas instalações da Escola Superior de tecnologia de Abrantes (ESTA), que vai sair do centro da cidade e passar para o Tecnopolo de Alferrarede.
O centro da cidade e o seu centro histórico, já a alguns anos, que têm vindo a sofrer um processo de abandono e desertificação, prejudicando a cidade e o pouco comercio tradicional que ainda por lá resiste. Este processo resulta das más politicas, da má vontade e, quiçá, das fracas qualidades dos edis camarários. Nos últimos anos fecharam ruas ao transito, não  arranjaram estacionamento suficiente para quem queira ir à cidade, transferiram o Arquivo Municipal e os Serviços Municipalizados para a zona industrial, deixaram a ASAE encerrar o centenário mercado municipal, deixam o centro histórico ao abandono e a degradar-se, e agora ainda vão transferir a ESTA para fora da cidade. Todos os serviços que levariam as pessoas a deslocarem-se ao coração da cidade foram postos na periferia, agora com a saída dos estudantes mais deserta e abandonada vai ficar a cidade, vai ficar um ambiente óptimo para a criminalidade que por aqui anda.
Com tantos edifícios que a câmara tem no centro da cidade e outros "sem dono" e a cair, que  seriam facilmente adquiridos pela autarquia, estes politicoszecos que nos governam não poderiam ai instalar estes e outros serviços de maneira a trazer mais pessoas para dentro da cidade?? é que o coração da nossa cidade é pequeno em tamanho, mas enorme em BELEZA. Só é pena termos politico que nunca deveria de ter enveredado por essa carreira!!!!!!!

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Coisas que não entendo

 A 21 de Março de 2011 a Câmara de Abrantes celebra um ajuste directo com o IPT (Instituto Politécnico de Tomar) requisitando os seus serviços  "PARA ELABORAÇÃO DE ESTUDO DE VIABILIDADE ECONÓMICA DO MUSEU IBÉRICO DE ARQUEOLOGIA E ARTE DE ABRANTES"
 
É isto que não consigo entender, primeiro a Autarquia gasta centenas de milhares de euros com o projecto do museu, com exposições, apresentações, com pessoal etc.. e depois de todos estes gastos, volvidos quase dois anos, é que se prepara para fazer um estudo de viabilização económica?? E será que o IPT , que tem ligações a pessoas potencialmente interessadas na construção do museu, deveria de estar ligado a este estudo? E se o estudo concluir que o museu não tem nenhuma viabilidade económica, constrói-se o museu na mesma? E o dinheiro que já se gastou? O estudo servirá para alguma coisa, ou é mais, areia para os olhos dos Abrantinos? São demasiadas dúvidas para se andar a brincar com dinheiros públicos.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Mais Lutaleaks Abrantina

O problema da fonte de vale de roubam ou fonte de são João!!!!
Nota* isto é  pura ficção,é humor, mas bem que poderia ser verdade!!!

Mais Lutaleaks Abrantina



 A Luta Continua, através dos mais bem guardados arquivos facebookianos, vai mostrar como foi tomada a decisão de  tirar a confiança politica a Santana Maia.

Nota* isto é  pura ficção,é humor, mas bem que poderia ser verdade!!!
Nota1*Um abraço solidário a Santana Maia 

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Lutaleaks Abrantina


A Luta Continua teve acesso aos mais secretos arquivos facebookianos da politica Abrantina


Nota* isto é  pura ficção, mas bem que poderia ser verdade!!!

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Os Bandeirinhas


Os Bandeirinhas, com letras grande pois são uma espécie, de funcionários Públicos que abundam ,infelizmente, por essas Autarquias e Serviços Públicos do nosso Pais e são em grande parte os causadores da inoperância, lentidão e incompetência de muitos Serviços Públicos.
Os Bandeirinhas, são aqueles todos que andam ai nas campanhas eleitorais de bandeira na mão, atrás dos candidatos, como se, de uma procissão se trata-se, vão a todos os jantares do Partido e a todas as homenagens e beija mãos dos chefes, com a finalidade não de um milagre, mas de garantirem o seu lugar nas Autarquias e sectores Públicos.
Para os Bandeirinhas, são abertos concursos públicos, gozando com todos os outros concorrentes que se candidatam acreditando que esses concursos são justos e sérios, são contratados por adjudicação directa, são avençados , enfim existem muitos mecanismos para colocar estes Bandeirinhas no tacho sem se ter de prestar contas a ninguém.
Ao contrario dos outros funcionários que tentam fazer o seu trabalho, da melhor maneira que sabem e muitas vezes com poucas condições de trabalho, os Bandeirinhas, sentindo-se apadrinhados, com o lugar seguro e a par, das suas poucas qualidades profissionais, desleixam-se, caiem na moleza e na futilidade, acotovelam-se nas portas dos serviços para fumarem o cigarrito e demoram eternidades, tratam da vida pessoal no horário de trabalho e passeiam-se pela cidade enquanto os restantes funcionários trabalham.
Os Bandeirinhas, não reunindo capacidades nem qualidades, para terem um bom emprego no sector privado ou de iniciativa própria, são metidos na esfera Publica através da cunha, dos laços familiares, de favores, através do cartão do Partido etc, em troca prometem muita graxa, fidelidade e servidão ao chefe e ao Partido, anulam-se como seres racionais que são, e deixam de pensar pelas suas cabeças, aliás só pensam em manter os privilégios e em fazer o menos possível, gozando com quem trabalha de verdade e ganhando uma vaidade ridícula como se estivessem num patamar acima dos restantes Funcionários Públicos.
Estes Bandeirinhas existem em todos os Municípios e em todos os organismos Públicos, são uma praga que suga grande parte dos orçamentos de Estado e Municipais.
E como tal, Abrantes não é excepção e também fica mal nesta fotografia, pois tem muitos Bandeirinhas e muita pouca qualidade. É Bandeirinha, aquele rapaz, secretário,ou outra coisa qualquer, da Presidente, cujo a única ideia para a cidade, que se lhe conhece, é a de fazer aqui uns festivais gays e lésbicos, mas que recebe um balúrdio para despachar uns papeis e responder a uns emails, é Bandeirinha aquela deputada municipal, que arranjou logo um tachito para a sua filha, recém licenciada em Arquitectura, é Bandeirinha, aquela secretária, para qual foi aberto um concurso publico, e depois anulado porque a dita não reuniu os requisitos necessários a tempo, é Bandeirinha a coordenadora do MIA, etc e tal, por ai fora pois muitos mais exemplos existem.

sábado, 9 de abril de 2011

QUERO TOMAR BANHO.......LOL LOL:):)




Pago das tarifas de água mais caras do Pais, pago mais em taxas do que propriamente em consumo de água, se me esquecer, ou não poder pagar a factura a tempo e horas, tenho de desembolsar mais 60€, pago o tacho do Pina da Costa e outros que tais que por la abundam, pago as ETAR  que não funcionam em condições. Pago tudo o que me exigem e o que inventam para me sacarem dinheiro, mas mesmo assim, todos os dias, a certas horas, a água não chega em condições a todas as casas, a certas horas nem chega a ter "força" para ligar o esquentador....
Já que pagamos tanto, o mínimo que é exigimos em troca, é um serviço em condições e para todos os munícipes.

Parecemos uma terra de terceiro mundo, pois num Pais desenvolvido os responsáveis por um serviço tão deficitário, e tão discrepante em relação ao preço/qualidade, já teriam sido postos a andar....

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Bancos deixam de emprestar ao Estado.




Bancos deixam de emprestar ao Estado e querem ajuda intercalar da Europa a Portugal

Esta notícia é reveladora da postura que os bancos Portugueses têm para com o Estado e para com a sociedade em geral, uma postura de ganância.
Só emprestam dinheiro ao estado, se este pedir ajuda externa, ou seja, uma maneira de terem liquidez, pois por tradição todos os banqueiros sabem que cá no nosso Pais, os banqueiros corruptos nunca são julgados e os bancos falidos, mesmo sendo privados, contam sempre com o dinheiro dos contribuintes para pagar o que os gestores desviam para o bolso.

E se a banca nos devolve-se os 5.000.000.000€ do BPN , os 450.000.000€ de aval ao BCP, os 250.000.000€ que já foram enterrados no BPP, todos os fundos de apoio as PME com que ao longo dos anos se têm abotoado, todos os juros bonificados de empréstimos para a compra de habitação, numa altura em que incentivavam por todo lado a compra de casa, prometendo falsos facilitismos. 
Podiam também devolver-nos todo o dinheiro que arrecadam através de mecanismos que inventam para sacar dinheiro ao estado, o dinheiro que arrecadam através do compadrio e do tráfico de influencias feito pelos políticos que correm da Assembleia da Republica para as administrações dos bancos, e por fim se pagassem os mesmos impostos que uma empresa paga, de certeza que hoje não tinham-mos um Pais tão endividado.

terça-feira, 29 de março de 2011

A anedota do ano!!!!

 Não sei quais foram os critérios utilizados pelo Mirante para elegerem a nossa Presidente como a personalidade politica de 2010, mas sei, que se esta senhora é a personalidade do ano, coitados dos outros concelhos, pois devem de estar bem piores que nós.


Personalidade politica do ano porque?
Pensemos então  no que mudou em Abrantes com esta senhora a comandar. Dos grandes projectos apresentados para estes anos, o Hotel do Barro Vermelho não passou do papel, a clínica Ofélia a mesma coisa, o RPP Solar só serviu para gastar o dinheiro da autarquia, pois pelo que se tem visto até agora nunca irá ficar concluído e a funcionar, o Museu Ibérico, devido a crise do Pais também não passará de projecto apenas serviu para gastar o nosso dinheiro e arranjar uns tachos, o histórico mercado Municipal foi fechado pela ASAE, o centro histórico continua decadente e abandonado, existe uma preocupante falta de médicos no concelho, grande parte das ETAR não funcionam correctamente, a criminalidade aumenta a cada dia, sem que a presidente o admita e faça alguma coisa, os jovens continuam a abandonar esta cidade que não lhes cria condições de se fixarem, as freguesias mais afastadas da cidade continuam entregues ao abandono e á desertificação.
A par disto, a empresa do Mendes, apoiante da presidente, continua a ficar com a maioria das grandes obras Municipais e os lugares e tachos da Autarquia e das empresas Municipais continuam a ser distribuídos pelos amigos, familiares e camaradas do partido.


Por tudo isto e muito mais, Maria do Céu foi eleita a personalidade do ano.


É ANEDÓTICO não é?????????????????????????



quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Tachos

Foram divulgados os custos que a Câmara teve ,até a data, com o Museu Ibérico de Arqueologia e Arte (MIAA):

Reparem bem neste tacho, alias neste tachão


A coordenadora do projecto, desde Março de 2010, menos de um ano, já recebeu 25 702,00€, mais de 5 mil contos. Voltar a dar aulas para que? ainda por cima, agora existem as avaliações.

Isto é uma pouca vergonha, e demonstra bem como são gastos os dinheiros Públicos, ou seja com os amigos.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

.......

O neo-liberalismo e os neo-liberais são os grandes responsáveis da crise económica que o mundo atravessa, diziam que o mercado só por si seria regulador, e os resultados dessas politicas estão hoje patentes no crach económico que o mundo vive, no desemprego, na pobreza e na crescente desigualdade social. 
O liberalismo é uma ideologia arcaica e o neo-liberalismo teve a sua experiência desastrosa com a senhora Tatcher na Inglaterra e com os Bush, pai e filho, nos EUA . O problema da direita mundial, é que não têm uma teoria, apenas têm uma ideologia pouco evoluída de neo-liberalismo, e sem teoria o Homem fica desarmado, sem soluções, a teoria é uma arma capaz de mudar o mundo, e neste sentido cabe à esquerda  pôr em prática o Marxismo, uma teoria que desmonta e refuta todos os mecanismos de funcionamento do capitalismo e aponta novos rumos e novas soluções para o futuro da Humanidade.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

OBRIGADO ANTÓNIO FEIO


Os grandes Homens não morrem, apenas deixam de estar entre nós.........

Um grande aplauso para António Feio, até sempre.....

quinta-feira, 29 de julho de 2010

TUBUCCI

*Jorge de Alarcão 

A identificação de Abrantes com a povoação de Tubucci referida no Itinerário de Antonino não
pode ser sustentada, apesar da tradição literária nesse sentido.
 
Manuel António Morato, num manuscrito cuja redacção deve ter começado em 1860, escreveu
“Do tempo dos romanos, á excepção d’algumas medalhas, nenhumas antiguidades se descobrem
hoje em Abrantes. No tempo do Bispo D. Fr. João da Piedade, segundo consta de uns
apontamentos seus, coordenados pelo Padre Mestre Fr. Francisco de Oliveira quando foi Prior
do Convento de S. Domingos desta Villa, os quaes se conservão na biblioteca pública d’Évora
entre os papeis do Arcebispo D. Fr. Manoel do Cenaculo, já bastante deteriorados, existiam
as seguintes lapides.” (Transcrito de Silva, 1981)
Seguem-se algumas inscrições, numa das quais se leria op(p)idi Tubuc(ciensis) e noutra,medic(us)
Tubuc(ciensis).
J. Candeias Silva (1981) mostrou a falsidade destas inscrições e esclareceu as circunstâncias
históricas que poderão ter justificado a sua invenção.
Nunca em Abrantes se encontraram vestígios que permitam supor ter aí existido povoação
romana de alguma relevância. Não podemos esquecer-nos que Diogo Oleiro, que aí viveu e sempre
foi tão atento às antiguidades da terra, nunca registou vestígios que minimamente convençam do
passado romano da cidade. Nem J. M. Bairrão Oleiro. Nem, no nosso tempo, J. Candeias Silva ou
Filomena Gaspar.
Em Abrantes foram todavia encontradas uma estátua romana e uma ara a Júpiter Óptimo
Máximo.
A estátua (Souza, 1990, p. 53, n.º 147), feminina e acéfala, foi achada nos inícios do século XX
no interior da igreja de Santa Maria do Castelo, a um metro de profundidade, numas escavações
que então se fizeram. A ara (Silva e Encarnação, 2001) não tem proveniência absolutamente segura,
mas poderá ter sido recolhida na zona histórica da freguesia de S. Vicente da cidade de Abrantes.
Quer a estátua, quer a ara, podem ter sido trazidas de outro(s) lugar(es) para Abrantes na
época medieval ou em período mais recente. Não permitem, sequer, fundamentar com alguma
verosimilhança a hipótese de ter existido um santuário a Júpiter no morro do castelo de Abrantes.
Se uma estátua de Júpiter poderia conferir alguma plausibilidade à ideia de um santuário, não se
compagina com tal hipótese uma estátua feminina, aliás desprovida de quaisquer atributos que
nos permitam considerá-la como representação de divindade.
Se a possibilidade da presença romana em Abrantes não deve ser descartada (existem ainda
algumas raras moedas registadas por Oleiro, 1952, p. 9), não nos parece que futuros achados arqueológicos
possam vir a demonstrar que houve aglomerado urbano romano de algum realce na área
edificada da actual cidade.

ALARCÃO, J. de - in Notas de arqueologia, epigrafia e toponímia II ,revista Portuguesa de Arqueologia.volume 7.número 2.2004

terça-feira, 27 de julho de 2010

Sobre um Poema - Herberto Helder

Um poema cresce inseguramente
na confusão da carne,
sobe ainda sem palavras, só ferocidade e gosto,
talvez como sangue
ou sombra de sangue pelos canais do ser.
Fora existe o mundo. Fora, a esplêndida violência
ou os bagos de uva de onde nascem
as raízes minúsculas do sol.
Fora, os corpos genuínos e inalteráveis
do nosso amor,
os rios, a grande paz exterior das coisas,
as folhas dormindo o silêncio,
as sementes à beira do vento,
- a hora teatral da posse.
E o poema cresce tomando tudo em seu regaço.
E já nenhum poder destrói o poema.
Insustentável, único,
invade as órbitas, a face amorfa das paredes,
a miséria dos minutos,
a força sustida das coisas,
a redonda e livre harmonia do mundo.
- Em baixo o instrumento perplexo ignora
a espinha do mistério.
- E o poema faz-se contra o tempo e a carne.




quarta-feira, 21 de julho de 2010

.....

Um dos posts mais estúpido e mais ignorante que vi pela Blogosfera  Abrantina:

         O post 3 230

 O mais hilariante é o autor acreditar  naquilo que escreve, para a politica já todos sabemos que não tem qualidade, mas como comediante tem um lindo futuro á sua frente:):)